Enraizamento de estacas de umbuzeiro potencializado pela aplicação de ácido ácido indol-3-butírico (AIB) - DOI:10.5039/agraria.v13i3a5541

Mario Leno Martins Véras, Rejane Maria Nunes Mendonça, Lucimara Ferreira de Figueredo, Vandeilson Lemos Araujo, José Sebastião de Melo Filho, Walter Esfrain Pereira

Resumo


O umbuzeiro é uma espécie do gênero Spondias de grande expressão na região semiárida, uma vez que está presente em todo o nordeste brasileiro. Contudo, a falta de um protocolo de propagação é uma das barreiras para o cultivo comercial desta espécie. Neste sentido, objetivou-se avaliar o efeito do tratamento na planta matriz com zinco na promoção do enraizamento de estacas de umbuzeiro tratadas com ácido indolbutírico (AIB). Foi adotado o delineamento inteiramente casualizado com nove tratamentos em níveis pré-determinados pela matriz “Composto Central de Box” referente às concentrações de zinco (0; 5,8; 20; 34,2 e 40 mg L-1) e combinações com as concentrações de AIB (0; 872,35; 3000; 5127,65 e 6000 mg L-1) e quatro repetições. Cada unidade experimental foi constituída por 12 estacas. O tratamento de plantas matrizes com zinco não afeta o desenvolvimento de raízes e parte aérea de estacas de umbuzeiro. O ácido indolbutírico promove melhor desenvolvimento e enraizamento de estacas de umbuzeiro na concentração de 6000 mg L-1. No entanto, há menor crescimento da parte aérea das estacas com a utilização deste regulador vegetal.


Palavras-chave


enraizamento; reguladores vegetais; Spondias tuberosa Arr. Cam.; zinco

Texto completo:

PDF

Referências


Balestri, E.; Vallerini, F.; Castelli, A.; Lardicci, C. Application of plant growth regulators, a simple technique for improving the establishment success of plant cuttings in coastal dune restoration. Estuarine, Coastal and Shelf Science, v. 99, p. 74-84, 2012. https://doi.org/10.1016/j.ecss.2011.12.017.

Botin, A. A.; Carvalho, A. N. D. R. É. A. Reguladores de crescimento na produção de mudas florestais. Revista de Ciências Agroambientais, v. 13, n. 1, p. 83-96, 2015. http://www.unemat.br/revistas/rcaa/docs/vol13-1/10_artigo_rcaa_v13n1a2015.pdf. 09 Mar. 2017.

Carvalho Júnior, W.G.O.; Melo, M.T.P.; Martins, E.R. Comprimento da estaca no desenvolvimento de mudas de alecrim pimenta. Ciência Rural, v. 39, n. 7, p. 2199-2202, 2009. https://doi.org/10.1590/S0103-84782009005000152.

Cody, R. An introduction to SAS University Edition. Cary: SAS Institute, 2015. 366p.

Cunha, A. C. M. M.; Paiva, H. N.; Xavier, A.; Otoni, W. C. Papel da nutrição mineral na formação de raízes adventícias em plantas lenhosas. Pesquisa Florestal Brasileira, n. 58, p. 35-47, 2009. https://doi.org/10.4336/2009.pfb.58.35.

Denaxa, N. K.; Vemmos, S. N.; Roussos, P. A. The role of endogenous carbohydrates and seasonal variation in rooting ability of cuttings of an easy and a hard to root olive cultivars (Olea europea L.). Scientia Horticulturae, v. 143, p. 19-28, 2012. https://doi.org/10.1016/j.scienta.2012.05.026.

Dutra, T. R.; Massad, M. D.; Sarmento, M. F. Q.; Oliveira, J. C. D. Indolebutyric acid and substrates on Spondias tuberosa layering. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 42, n. 4, p. 424-429, 2012. https://doi.org/10.1590/S1983-40632012000400010.

Fachinello, J. C.; Hoffmann, A.; Nachtigal, J. C. (Eds). Propagação de plantas frutíferas. Brasília: Embrapa Informações Tecnológicas, 2005. 221 p.

Gomes, W. A.; Estrela, M. A.; Mendonça, R. M. N.; Silva, S. M.; Souza, A. P.; Alves, R. E. Enraizamento de estacas de umbu-cajazeira (Spondias spp.). Proceedings of the Interamerican Society for Tropical Horticulture, v. 47, n. 1, p. 231- 233, 2005.

Hartmann, H. T.; Kester, D. E.; Davies, F. T.; E Geneve, R. Plant propagation: principles and practices. Upper Saddle River: Prentice Hall, 2011. 915 p.

Li, S. W.; Xue, L.; Xu, S.; Feng, H.; An, L. Mediators, genes and signaling in adventitious rooting. The Botanical Review, v. 75, n. 2, p. 230-247, 2009. https://doi.org/10.1007/s12229-009-9029-9.

Mertens, J.; Germer, J.; Siqueira Filho, J. A.; Sauerborn, J. Spondias tuberosa Arruda (Anacardiaceae), a threatened tree of the Brazilian Caatinga?. Brazilian Journal of Biology, v.77, n. 3, p.542-552, 2017. https://doi.org/10.1590/1519-6984.18715.

Muller, D.; Leyser, O. Auxin, cytokinin and the control of shoot branching. Annals of Botany, v. 107, n. 7, p.1203–1212, 2011. https://doi.org/10.1093/aob/mcr069.

Nicoloso, F. T.; Lazzari, M.; Fortunato, R. P. Propagação vegetativa de Platanus acerifolia Ait: (II) Efeito da aplicação de zinco, boro e ácido indolbutírico no enraizamento de estacas. Ciência Rural, v. 29, n. 3, p. 487-492, 1999. https://doi.org/10.1590/S0103-84781999000300018.

Paula, L. A.; Boliani, A. C.; Souza Corrêa, L.; Celoto, M. I. B. Efeito do ácido indolbutírico e raizon no enraizamento de estacas herbáceas e lenhosas de umbuzeiro. Acta Scientiarum. Agronomy, v. 29, n. 3, p. 411-414, 2007. https://doi.org/10.4025/actasciagron.v29i3.468.

Peña, M. L. P.; Gubert, C.; Tagliani, M. C.; Bueno, P. M. C.; Biasi, L. A. Doses e formas de aplicação do ácido indolbutírico na propagação por estaquia dos mirtileiros cvs. Flórida e Clímax. Semina: Ciências Agrárias, v. 33, n. 1, p. 57-64, 2012. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n1p57.

Peña, M. L.; Zanette, F.; Biasi, L. A. Miniestaquia a partir de minicepas originadas por enxertia de pitangueira adulta. Comunicata Scientiae, v. 6, n. 3, p. 297-306, 2015. https://doi.org/10.14295/CS.v6i3.817.

Prado, D. Z.; Dionizio, R. C.; Vianello, F.; Baratella, D.; Costa, S. M.; Lima, G. P. P. Quercetin and indole 3-butyric acid (IBA) as rooting inducers in Eucalyptus grandis x E. urophylla. Australian Journal of Crop Science, v. 9, n. 11, p. 1057-1063, 2015. http://www.cropj.com/prado_9_11_2015_1057_1063.pdf. 09 Jun. 2017.

Rios, S. E. M. C.; Pereira, L.S.; Santos, T.C.; Souza, V.G.R. Doses de ácido indolbutírico comprimento e época de coleta de estacas na propagação de umbuzeiro. Revista Caatinga, v. 25, n. 1, p. 52-57, 2011. https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/caatinga/article/view/2113. 09 Mar. 2017.

Silva, R. C.; Antunes, M. C.; Roveda, L. F.; Carvalho, T. C.; Biasi, L. A. Enraizamento de estacas de Melaleuca alternifolia submetidas a diferentes reguladores vegetais. Semina: Ciências Agrárias, v. 33, n. 5, 1643-1652, 2012. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n5p1643.

Souza, E. P. Propagação da cajazeira e do umbuzeiro por meio de estaquia, alporquia e enxertia. Areia: Universidade Federal da Paraiba, 2007. 82p. Dissertação Mestrado.

Souza, R. R.; Cavalcante, M. Z. B.; Lima, M. P. D.; Alixandre, T. F.; Nascimento, R. T. Propagação vegetativa de hibisco com diferentes tipos de estacas e doses de ácido indolbutírico. Comunicata Scientiae, v. 6, n. 3, p. 291-296, 2015. https://doi.org/10.14295/CS.v6i3.679.

Tosta, M. da S.; Oliveira, C. V. F. de.; Freitas, R. M. O. de.; Porto, V. C. N.; Nogueira, N. W.; Tosta, P. de A. F. Ácido indolbutírico na propagação vegetativa de umbu-cajazeira (Spondias sp.). Semina: Ciências Agrárias, v. 33, n. 6, supl. 1, p. 2727-2740, 2012. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33Supl1p2727.

Véras, M. L. M.; Mendonça, R. M. N.; Ramires, C. M. C.; Silva, S. D. M.; Pereira, W. E. Effect of ethephon and indolebutyric acid on yellow mombin propagation via cutting. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 47, n. 4, p. 416-423, 2017. https://doi.org/10.1590/1983-40632017v4749515.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Mario Leno Martins Véras, Lucimara Ferreira de Figueredo, Vandeilson Lemos Araujo, José Sebastião de Melo Filho, Rejane Maria Nunes Mendonça, Walter Esfrain Pereira

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2020

h5 index: 11

h5 median: 12

Mais detalhes

“Este periódico é filiado à

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.