Estiolamento e ácido indolbutírico na miniestaquia de Olea europaea cv. Maria da Fé - DOI:10.5039/agraria.v15i2a6875

Dianini Brum Frölech, Maria Inez Barros Fernandes de Lopes, Adriane Marinho de Assis, Márcia Wulff Schuch

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do estiolamento e da utilização de ácido indolbutírico (AIB) na propagação de miniestacas de Olea europaea cv. Maria da Fé. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, em esquema bifatorial 2 x 3 [miniestacas oriundas de plantas sem e com estiolamento e três concentrações de ácido indolbutírico (0, 1.000 e 2.000 mg L-1)]. Após 110 dias foram avaliadas: porcentagem de sobrevivência, de retenção foliar e de enraizamento, número de raízes, comprimento da maior raiz, massa de matéria seca das raízes e porcentagem de miniestacas com calos e não enraizadas. Para a porcentagem de sobrevivência, de retenção foliar, enraizamento, número de raízes e massa de matéria seca das raízes, houve significância apenas para as concentrações de AIB, sendo que, de maneira geral, a concentração de 1.000 mg L-1 de AIB proporcionou as maiores médias. Para o comprimento da maior raiz e miniestacas com calos e não enraizadas obtiveram-se interação entre os tratamentos, destacando-se a menor média para a formação de calos nas miniestacas com estiolamento e sem AIB. Conclui-se que a miniestaquia de Olea europaea cv. Maria da Fé pode ser realizada sem o estiolamento nas plantas matrizes, com uso de 1.000 mg L-1 de AIB.


Palavras-chave


auxina; oliveira; regulador vegetal; propagação vegetativa; vermiculita

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Câmara, F.M.M.; Carvalho, A.S.; Mendonça, V.M.; Paulino, R.C.; Diógenes, F.E.P. Sobrevivência, enraizamento e biomassa de miniestacas de aceroleira utilizando extrato de tiririca. Comunicata Scientiae, v.7, n.1, p.133-138, 2016. https://doi.org/10.14295/cs.v7i1.1372.

Casarin, J.V.; Moreira, R.M.; Raasch, C.G.; Timm, C.R.F.; Schuch, M.W. Productivity and rooting of olive mini-cuttings grown in a clonal mini-garden according to season. Comunicata Scientiae, v.8, n.4, p.537-543, 2017. https://doi.org/10.14295/cs.v8i4.2330.

Casarin, J.V.; Ramm, A.; Raasch, C.G.; Timm, C.R.F.; Schuch, M.W. Rooting of olive minicuttings at different seasons grown in clonal minigarden. Comunicata Scientiae, v.9, n.1, p.41-49, 2018. https://doi.org/10.14295/cs.v9i1.2525.

Colombo, R.C.; Assis, A.M. de; Favetta, V.; Yamamoto, L.Y.; Roberto, S.R. Collect seasons, indolebutyric acid and substrates on rooting of ‘Bengal’ lychee cuttings. Journal of Agricultural Science, v. 10, n. 5, p.1-7, 2018. https://doi.org/10.5539/jas.v10n5p338.

Coutinho, E.F.; Jorge, R.O.; Haerter, J.A.; Costa, V.B. Oliveira: aspectos técnicos e cultivo no Sul do Brasil. Brasília: Embrapa, 2015. 181p.

Fachinello, J.C.; Hoffmann, A.; Nachitgal, J.C. Propagação de plantas frutíferas. 1.ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2005. 221 p.

Figueirêdo, G.R.G.; Vilasboas, F.S.; Oliveira, S.J.R.; Sodré, G.A.; Sacramento, C.K. Propagação da gravioleira por miniestaquia. Revista Brasileira Fruticultura, v.35, n.3, p.860-865, 2013. https://doi.org/10.1590/S0100-29452013000300024.

Hartmann, H.T.; Kester, D.E.; Davies Junior, F.T.; Geneve, R.L. Plant propagation: principles and practices. 7.ed. New Jersey: Prentice Hall, 2002. 880 p.

Hussain, I.; Assis, A.M. de; Yamamoto, L.Y.; Koyama, R.; Roberto, S.R. Indole butyric acid and substrates influence on multiplication of blackberry ‘Xavante’. Ciência Rural, v.44, n.10, p.1761-1765, 2014. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20131204.

Kaim, J.C.; Bisht, V.K. Rooting of Olive cuttings (Olea europaea L.) cv. Pendolino and Frontoio in relation to the propagation medium. Advance Pharmaceutical Journal, v. 2, n. 2, p. 69-73, 2017. http://www.apjonline.in/uploaded/p35.pdf. 28 Mar. 2019.

Kämpf, N.A.; Takane, R.J.; Siqueira, P.T.V. Floricultura: técnicas de preparo de substratos. Brasília: LK Editora e Comunicação, 2006. v.1, 132 p.

Moreira, R.M.; Silva, J.B. da; Ramm, A.; Schuch, M.W.; Fagundes, C. de M.; Maciejewski, P.; Tomaz, Z.F.P. Ácido indolbutírico no enraizamento de miniestacas de oliveira 'Barnea'. Congrega Urcamp, p.1164-1174, 2017. http://trabalhos.congrega.urcamp.edu.br/index.php/14jpgp/article/view/1803. 28 Mar. 2019.

Peña; M.L.P.; Zanette; F.; Biasi, L.A. Época de coleta e ácido indolbutírico no enraizamento de miniestacas de pitangueira. Semina: Ciências Agrárias, v.36, n.5, p.3055-3068, 2015. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n5p3055.

Penso, G.A.; Sachet, M.R.; Maro, L.A.C.; Patto, L.S.; Citadin, I. Propagação de oliveira ‘Koroneiki’ pelo método de estaquia em diferentes épocas, concentrações de AIB e presença de folhas. Revista Ceres, v.63, n.3, p.355-360, 2016. https://doi.org/10.1590/0034-737X201663030012.

Picolotto, L.; Vignolo, G.K.; Pereira, I. dos S.; Goncalves, M.A.; Antunes, L.E.C. Enraizamento de estacas de amoreira-preta em função da adubação nitrogenada na planta matriz. Revista Ceres, v.62, n.3, p.294-300, 2015. https://doi.org/10.1590/0034-737X201562030009.

Schuch, M.W.; Peil, R.M.N. Soilless cultivation systems: A new approach in fruit plants propagation in southern Brazil. Acta Horticulturae, v.952, p.877-883, 2012. https://doi.org/10.17660/ActaHortic.2012.952.111.

Silva, S.S. da; Klosowski, A.C.; Koyama, R.; Fabri, C.A.; Gomes, L.L.; Zuffellato-Ribas, K.C. Enraizamento de estacas de Jasminum polyanthum tratadas com ácido indolbutírico. Scientia Agraria, v.13, n.1, p.17-20, 2012. https://doi.org/10.5380/rsa.v13i1.40855.

Taiz, L.; Zeiger, E. Fisiologia vegetal. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2015. 888p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Dianini Brum Frölech, Maria Inez Barros Fernandes de Lopes, Adriane Marinho de Assis, Márcia Wulff Schuch

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2019

h5 index: 10

h5 median: 14

Mais detalhes

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.