Efeitos de diferentes doses de paclobutrazol e sacarose no crescimento mínimo in vitro de espécies silvestres de Manihot

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v16i2a8657

Palavras-chave:

preservação de germoplasma, Manihot flabellifolia, M. pseudoglaziovii, M. violaceae, sacarose

Resumo

A conservação in vitro sob condições de crescimento mínimo permite prolongar os períodos entre os subcultivos sem afetar a viabilidade da planta, além de reduzir o risco de contaminação e o espaço necessário para cultivo. Experimentos foram realizados utilizando o 8S como meio de cultura básico, suplementado com combinações de cinco concentrações de paclobutrazol (PBZ - 0; 0,10; 0,20; 0,30 e 0,40 mg L-1) e sacarose (SAC - 0, 5, 10, 15 e 20 g L-1), resultando em 25 tratamentos, aplicados em três espécies silvestres: Manihot violaceae, M. flabellifolia e M. pseudoglaziovii. Após 120 dias de cultivo, as variáveis avaliadas, altura de planta (cm), número de miniestacas com 1 cm, número de raízes, número de brotações, número de folhas verdes e senescentes, permitiram verificar que a interação de 0,1 mg L-1 PBZ e 5 g L-1 SAC revelou efeito expressivo na conservação in vitro em M. pseudoglaziovii. Em M. violacea, a combinação de 0,2 mg L-1 PBZ e 10 g L-1 SAC é a mais indicada para sua conservação. As concentrações de PBZ e SAC avaliadas no presente estudo não se mostraram eficientes para conservação in vitro de M. flabelifolia.

Downloads

Publicado

2021-06-29

Edição

Seção

Agronomia