Biologia reprodutiva da Anomalocardia brasiliana (Gmelin, 1791) no litoral norte de Pernambuco, Brasil - DOI:10.5039/agraria.v6i2a1139

Henrique David Lavander, Leônidas Cardoso Oliveira, Ricardo Mendes Oliveira, Sérgio Rodrigues da Silva Neto, Alfredo Olivera Galvez, Silvio Ricardo Maruano Peixoto

Resumo


O marisco Anomalocardia brasiliana apresenta grande importância econômica e social na pesca artesanal no litoral norte de Pernambuco. O presente estudo teve como objetivo analisar os aspectos relativos à biologia reprodutiva do estoque natural da A. brasiliana na praia de Mangue Seco, Município de Igarassu, litoral norte de Pernambuco. A biologia reprodutiva da espécie foi acompanhada mensalmente durante dez meses através da caracterização histológica do desenvolvimento gonadal, cálculo do rendimento (índice de condição) e proporção sexual. Os resultados de rendimento e análise histológica indicaram que a espécie tem capacidade de manter sua atividade reprodutiva de forma contínua durante o período de estudo. Estes resultados podem servir como base para o estabelecimento de futuros programas de manejo deste recurso pesqueiro e o desenvolvimento da maricultura na região.


Palavras-chave


Marisco; molusco bivalve; pesca; veneridae

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Henrique David Lavander, Leônidas Cardoso Oliveira, Ricardo Mendes Oliveira, Sérgio Rodrigues da Silva Neto, Alfredo Olivera Galvez, Silvio Ricardo Maruano Peixoto

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2020

h5 index: 11

h5 median: 12

Mais detalhes

“Este periódico é filiado à

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.