Qualidade pós-colheita da banana ‘pacovan’ comercializada em diferentes estabelecimentos no município de Mossoró-RN - DOI:10.5039/agraria.v5i3a614

Grazianny Andrade Leite, Erika Valente de Medeiros, Vander Mendonça, Patrícia Lígia D. de Moraes, Luciana M. de Lima, Isabelle F. Xavier

Resumo


O objetivo deste trabalho foi caracterizar e avaliar a qualidade pós-colheita de banana ‘Pacovan' comercializada em diferentes tipos de estabelecimentos do município de Mossoró-RN. Os frutos foram coletados com grau de maturação tipo 6 (fruto com casca totalmente amarela). O delineamento experimental foi em blocos ao acaso com três tratamentos (tipos de estabelecimentos) e seis blocos (dias de coleta). As variáveis analisadas foram: massa total e da polpa, comprimentos longitudinal e transversal, aparência externa, firmeza, sólidos solúveis, acidez titulável, relação SS/AT, preço, incidência e frequência de isolamento de fungos. Os frutos comercializados nos três tipos de estabelecimentos apresentaram qualidades físicas e químicas que se enquadram no padrão considerado ideal para o consumo in natura. Bananas do estabelecimento A se destacaram com maior massa e comprimentos longitudinal e transversal. Foi encontrada alta incidência de manchas e/ou podridões que comprometeram a aparência externa das bananas comercializadas, independente do tipo de estabelecimento. O objetivo deste trabalho foi caracterizar e avaliar a qualidade pós-colheita de banana ‘Pacovan' comercializada em diferentes tipos de estabelecimentos do município de Mossoró-RN. Os frutos foram coletados com grau de maturação tipo 6 (fruto com casca totalmente amarela). O delineamento experimental foi em blocos ao acaso com três tratamentos (tipos de estabelecimentos) e seis blocos (dias de coleta). As variáveis analisadas foram: massa total e da polpa, comprimentos longitudinal e transversal, aparência externa, firmeza, sólidos solúveis, acidez titulável, relação SS/AT, preço, incidência e frequência de isolamento de fungos. Os frutos comercializados nos três tipos de estabelecimentos apresentaram qualidades físicas e químicas que se enquadram no padrão considerado ideal para o consumo in natura. Bananas do estabelecimento A se destacaram com maior massa e comprimentos longitudinal e transversal. Foi encontrada alta incidência de manchas e/ou podridões que comprometeram a aparência externa das bananas comercializadas, independente do tipo de estabelecimento.


Palavras-chave


incidência de fungos; mercado; Musa sp; pós-colheita

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Grazianny Andrade Leite, Erika Valente de Medeiros, Vander Mendonça, Patrícia Lígia D. de Moraes, Luciana M. de Lima, Isabelle F. Xavier

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2020

h5 index: 11

h5 median: 12

Mais detalhes

“Este periódico é filiado à

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.