Tratamentos térmicos e secagem da madeira serrada de uva-do-Japão - DOI:10.5039/agraria.v11i3a5375

Maiara Talgatti, Talita Baldin, Elio José Santini, Walmir Marques Menezes, Felipe Susin, Bibiana Regina Argenta Vidrano

Resumo


A pesquisa objetivou verificar a influência de tratamentos térmicos na taxa de secagem e qualidade da madeira de uva-do-Japão (Hovenia dulcis Thunb.). Foram colhidas quatro árvores de 25 anos de idade com diâmetro a altura do peito médio de 39,5 cm e altura comercial média de 10 m, transformadas em amostras de 40 x 130 x 500 mm (espessura x largura x comprimento) e classificadas quanto à orientação radial e tangencial do material. Os tratamentos aplicados consistiram de aquecimento em água por 12 e 24 h, a 85 ºC, e congelamento por 12 e 24 h, a -18 ºC. Após o tratamento, a madeira foi submetida à secagem a 75 ºC em estufa de convecção forçada até atingir 12% de teor de umidade. Os tratamentos de aquecimento e congelamento influenciaram na taxa de secagem, uma vez que o primeiro diminuiu o processo de secagem, enquanto o segundo, o acelerou. O tratamento de congelamento a 24 h com as amostras orientadas no sentido tangencial apresentou maior taxa de secagem em relação aos demais. Os tratamentos foram não significativos para a redução de contrações nas amostras em largura, espessura e comprimento, já a contração volumétrica, foi significativamente mais elevada nas amostras aquecidas em água. A madeira de uva-do-Japão não apresentou rachaduras de topo ou de superfície em nenhum dos tratamentos considerados neste estudo.


Palavras-chave


aquecimento; congelamento; taxa de secagem

Texto completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. NBR 9487: Classificação da madeira serrada de folhosas. Rio de Janeiro: ABNT, 1986. 32 p.

Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. NBR 7190: projeto de estruturas de madeira. Anexo B - Determinação das propriedades das madeiras para projetos de estruturas. Rio de Janeiro: ABNT, 1997. 107p.

Chen, P.Y.S.; Cooper, G.A. The effect of prefreezing on permeability of black walnut to water. Wood Science, v.6, n.4, p.389-93, 1974.

Choong, E.T.; Shupe, T. F.; Chen, Y. Effect of steaming and hot-water soaking on extractive distribution and moisture diffusivity in southern pine during drying. Wood and Fiber Science, v.31, n.2, p.143-150, 1999. http://wfs.swst.org/index.php/wfs/article/view/1347/1347. 10 Out. 2015.

Comisión Panamericana de Normas Técnicas - COPANT. COPANT 30:1-004: maderas - método de determinación del peso específico aparente. Caracas: COPANT, 1971. 7p.

Comisión Panamericana de Normas Técnicas - COPANT. COPANT 30:1-005: maderas - método de determinación de la contracción. Caracas: COPANT, 1971. 5p.

Cooper, G.A. Prefreezing reduces shrinkage and alters sorption in black walnut. Forest Products Journal, v.22, n.5, p.54-60, 1972.

Durlo, M.A.; Marchiori, J. N. C. Tecnologia da madeira: retratibilidade. Santa Maria: CEPEF/FATEC, 1992, 33p.

Erickson, R.W. Haygreen, J.; Hossfeld, R. Drying prefrozen redwood. Forest Products Journal, v.16, n.8, p.57-65, 1966.

Glossop, B.R. Effect of hot-water soaking or freezing pre-treatments on drying rates of two eucalypts. Forest Products Journal, v.44, n.10, p.29-32, 1994.

Ilic, J. Advantages of prefreezing for reducing shrinkage-related degrade in eucalypts: general considerations and review of the literature. Wood Science and Technology, v.29, n.4, p.277-284, 1995. http://dx.doi.org/10.1007/BF00202087.

Ilic, J. Influence of prefreezing on shrinkage-related degrade in Eucalyptus regnans F. Muell. Holz als Roh und Werkstoff, v.57, p.241-245, 1999. http://dx.doi.org/10.1007/s001070050049.

Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT. Divisão de madeiras. Madeira: o que é e como pode ser processada e utilizada. São Paulo: ABPM, 1985. 189p. (Boletim ABPM, 36).

Klitzke, R.J.; Batista, D. C. Ensaio de taxa de secagem e escore de defeitos para a predição da qualidade de secagem convencional da madeira de Eucalyptus. Scientia Florestalis, v. 38, n. 85, p. 97-105, 2010. http://www.ipef.br/publicacoes/scientia/nr85/cap09.pdf . 01 Out. 2015.

Motta, J.P.; Oliveira, J.T.S.; Braz, R.L.; Duarte, A.P.C.; Alves, R.C. Caracterização da madeira de quatro espécies florestais. Ciência Rural, v.44, n.12, p.2186-2192, 2014. http://dx.doi.org/10.1590/0103-8478cr20130479.

Oliveira, J.T.; Tomazello, M.F.; Fiedler, N.C. Avaliação da retratibilidade da madeira de sete espécies de Eucalyptus. Revista Árvore, v.34, n.5, p.929-936, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622010000500018.

Rezende, N.R.; Lima, J.T.; Ramos, L.E.; Silva, J.R.M. Efeito da vaporização na secagem de tábuas de Eucalyptus grandis. Cerne, v. 21, n. 1, p.37-41, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/01047760201521011546.

Selle, G.L.; Fleig, F.D.; Vuaden, E.; Albernar, D.L.A.J.; Braz, E.M. Índices de sítios para Hovenia dulcis Thunberg na região central do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Florestal, v. 19, n. 4, p. 407-423, 2009. http://dx.doi.org/10.5902/19805098896.

Susin, F.; Santini, E.J.; Stangerlin, D.M.; Morais, W.C.; Melo, R.R. Taxa de secagem e qualidade da madeira serrada de Hovenia dulcis submetida a dois métodos de secagem. Floresta e Ambiente, v. 21 p. 243-250. 2014. http://dx.doi.org/10.4322/floram.2014.016.

Takeshita, S.; Jankowsky, I.P. Redução na movimentação dimensional da madeira de jatobá (Hymenaea sp.) e muiracatiara (Astronium sp.) submetidas a tratamento térmico adicional. Scientia Forestalis, v. 43, n. 106, p. 345-352, 2015. http://www.ipef.br/publicacoes/scientia/nr106/cap10.pdf. 18 Set. 2015.

Vivian, A., Modes, K.S.; Beltrame, R.; Souza, J.T.; Stangerlin, D.M.; Morais, W.W. C.; Santini, E.J. Influência do tratamento térmico nos defeitos de secagem da madeira de Hovenia dulcis Thunb. Ciência da Madeira, v. 2, n. 1, p. 15-28, 2011. http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v02n01a02.

Vivian, A.; Beltrame, R.; Modes, K,S.; Souza, J.T.; Stangerlin, D.M.; Gatto, D.A.; Santini, E.J. Efeito de pré-tratamentos na taxa de secagem da madeira de Hovenia dulcis Thunb. Ciência da Madeira, v. 1, n. 2, p. 32-43. 2010. http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v01n02a03.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Maiara Talgatti

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2020

h5 index: 11

h5 median: 12

Mais detalhes

“Este periódico é filiado à

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.