Desempenho de girinos de rã-touro alimentados com ração comercial contendo diferentes concentrações de proteína bruta

Autores

  • José T. de Seixas Filho Centro Universitário Augusto Motta; Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro
  • Rodrigo D. Navarro Universidade José do Rosário Vellano
  • Lílian N. da Silva Centro Universitário Augusto Motta
  • Silvana L. R. Garcia Instituto Viçosense de Ensino e Pesquisa
  • Márcio Hipólito Instituto Biológico, Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Sanidade Animal

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i3a788

Palavras-chave:

Comprimento, exigência nutricional, metabolismo, peso médio

Resumo

Objetivou-se avaliar o desempenho de girinos da rã-touro (Lithobates catesbeianus Shaw, 1802), alimentados com diferentes níveis de proteína bruta. Foram utilizados 360 girinos de mesma desova, no estádio 25 de Gosner e distribuídos à base de um girino/L em caixas contendo 30 L de água. As características e a sobrevivência foram avaliadas em cinco biometrias, durante 60 dias. O delineamento experimental foi o inteiramente casualisado, com parcela subdividida com quatro repetições. O peso médio dos animais e o ganho de peso, até 30 dias de experimentação, não foram influenciados pelos teores de proteína bruta na ração. O peso médio dos girinos atingiu valores máximos aos 60 dias de experimentação de 13 gramas quando a ração com 45% de PB se destacou das demais. O ganho de peso apresentou valor máximo aos 46, 48, 53 e 60 dias quando foram utilizadas as rações com 32, 36, 45 e 55%, respectivamente, indicando que quanto maior o teor de PB, mais tardia deverá ser a intervenção na dieta. O comprimento dos girinos aumentou de forma contínua à medida que elevou-se a porcentagem de proteína na ração.

Biografia do Autor

Silvana L. R. Garcia, Instituto Viçosense de Ensino e Pesquisa

 

 

 

Márcio Hipólito, Instituto Biológico, Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Sanidade Animal

 

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Zootecnia