Disponibilidade de micronutrientes catiônicos em solo arenoso após adubação orgânica

Autores

  • Tácio O. da Silva Universidade Federal de Sergipe
  • Rômulo S. C. Menezes Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i3a639

Palavras-chave:

Adubo orgânico, extratores, região semiárida, Solanum tuberosum

Resumo

O objetivo deste estudo foi comparar soluções extratoras (Mehlich 1, Mehlich 3 e DTPA-TEA pH 7,3) para cobre (Cu), ferro (Fe), manganês (Mn) e zinco (Zn), disponíveis em um Neossolo Regolítico adubado por seis anos com esterco e/ou crotalária. Os tratamentos de adubação orgânica aplicados no plantio da batata foram: 1) esterco caprino (15 Mg ha-1); 2) cultivo e incorporação da Crotalaria juncea L.; 3) combinação de metade da dose de esterco (7,5 Mg ha-1) com o cultivo e incorporação da Crotalaria juncea L.; e 4) testemunha (sem adubação). Os ensaios de adubação orgânica foram realizados no período de 1996 a 2003, com exceção de 1998 e 1999, devido à escassez de chuvas. Em 2003, foram analisadas amostras de solo coletadas nas camadas de 0-0,20 e 0,20-0,40 m de profundidade. Os maiores teores dos elementos Zn, Cu, Mn e Fe foram detectados para as soluções extratoras Mehlich-1 e Mehlich-3. No geral, a concentração média desses elementos decresceu em profundidade, exceto para o Fe, nos extratores Mehlich-1 e DTPA-TEA. Observou-se correlação
positiva entre as soluções Mehlich-1 e Mehlich-3 para todos os elementos, exceto para o Fe. Os teores disponíveis dos micronutrientes quantificados no Neossolo Regolítico, após um longo período de adubação orgânica, foram enquadrados nos níveis de médio a alto.

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Agronomia