Aporte de serapilheira e de nutrientes em fragmentos florestais da Mata Atlântica, RJ

Autores

  • Juvenal M. Gomes Instituto Federal do Norte de Minas Gerais
  • Marcos G. Pereira Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Fátima C. M. Piña-Rodrigues Universidade Federal de São Carlos
  • Guilherme H. A. Pereira Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Fábio R. Gondim Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Eliane M. R. da Silva Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i3a552

Palavras-chave:

Ciclagem de nutrientes, fragmentação, indicadores bióticos

Resumo

Objetivando avaliar os efeitos da fragmentação sobre a deposição de serapilheira e a transferência de nutrientes, instalou-se um experimento em quatro remanescentes florestais de diferentes tamanhos (3,2; 8; 23 e 62 ha) e graus de perturbação, no município de Teresópolis-RJ. O aporte de serapilheira foi avaliado por meio de coletores cônicos, e o conteúdo dos nutrientes cálcio, magnésio, fósforo e potássio, foi determinado na fração folhas e nos solos. A deposição de serapilheira apresentou padrão sazonal, com o maior aporte observado na transição do período seco para o úmido. O maior aporte ocorreu no fragmento de 8 ha no início da estação chuvosa e, independente do fragmento, a fração foliar foi a que mais contribuiu para o aporte total. Não foi verificada diferença no padrão de deposição de serapilheira entre a borda e o interior dos fragmentos, não sendo também observada correlação com o tamanho dos remanescentes avaliados. O aporte de nutrientes apresentou relação com o tamanho dos fragmentos. K e Ca foram os nutrientes aportados em maior quantidade, com valores bastante variáveis entre os meses e as áreas.

Biografia do Autor

Eliane M. R. da Silva, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

 

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Ciências Florestais