Produção e teor de metais pesados em alface adubada com composto de lixo urbano

Autores

  • Regynaldo A. Sampaio Universidade Federal de Minas Gerais
  • Sílvio J. Ramos Universidade Federal de Lavras
  • Leila G. da Silva Universidade Federal de Roraima
  • Cândido A. da Costa Universidade Federal de Minas Gerais
  • Luiz A. Fernandes Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i3a488

Palavras-chave:

Composto orgânico, Lactuca sativa, poluição do solo

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar o período de incorporação de composto de lixo urbano sobre as alterações no pH do solo e na produção e teor foliar de metais pesados em plantas de alface cultivadas em diferentes solos. Utilizou-se o delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial 3 x 2 x 3, com três repetições, correspondendo a amostras de três solos (Latossolo Vermelho-Amarelo, textura franco-argilo-arenosa - LVAfaa; Latossolo Vermelho-Amarelo, textura franco-arenosa - LVAfa e Neossolo Quartzarênico, textura areiafranca - RQ), dois tempos de incorporação (1 e 2 meses) e três níveis de pH do solo (pH original e pH corrigido para 6,0 e 7,0). Foram determinadas as massas fresca e seca da parte aérea, o pH do solo após o cultivo e
os teores de Cd, Cu, Ni, Pb e Zn no solo e na planta. A adição do composto de lixo elevou o pH do solo, sendo que o maior tempo de incorporação  promoveu os maiores acréscimos. A adubação com composto de lixo urbano na alface não a tornou imprópria para o consumo humano.

Biografia do Autor

Leila G. da Silva, Universidade Federal de Roraima

 

 

 

Luiz A. Fernandes, Universidade Federal de Minas Gerais

 

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Agronomia