Índices de agregação e a relação com as substâncias húmicas em Latossolos e Argissolos de tabuleiros costeiros, Campos dos Goytacazes, RJ

Autores

  • Ademir Fontana Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Roberto J. de Brito Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Marcos G. Pereira Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Arcângelo Loss Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i3a461

Palavras-chave:

Ácidos húmicos, carbono orgânico, estabilidade dos agregados, humina

Resumo

O objetivo neste trabalho foi avaliar a agregação do solo, os teores de carbono orgânico dos agregados e a relação entre agregação e as substâncias húmicas em solos de tabuleiros costeiros sob diferentes coberturas vegetais, no norte do Estado do Rio de Janeiro. Foram coletadas amostras  indeformadas nas profundidades de 0-5, 5-10, 10-20 e 20-40 cm, em áreas de Latossolo Amarelo (LA) e Argissolo Amarelo (PA), sob três coberturas vegetais: pastagem (pasto), cana-de-açúcar (cana) e floresta secundária (floresta). Foi quantificado o diâmetro médio ponderado dos agregados (DMP) e o carbono em cada classe de agregados (COAGR), e determinados o índice de sensibilidade (IS) e os teores das substâncias húmicas: ácidos fúlvicos, ácidos húmicos e humina. Os maiores valores de DMP foram observados na área de floresta e os menores na área de cana. Na comparação entre os solos, o PA apresentou os maiores valores de DMP. O maior valor de IS foi verificado na área de pasto. Os teores de COAGR diminuíram em direção às classes de agregados de menor diâmetro, sendo os menores valores observados nas áreas de pasto e cana. A humina apresentou maiores valores de correlação com a agregação do solo no PA, enquanto os ácidos húmicos apresentaram melhor correlação no LA, principalmente na área de floresta.

Biografia do Autor

Arcângelo Loss, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Agronomia