Teste de frio na determinação do vigor das sementes de Carthamus tinctorius L.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v16i4a9008

Palavras-chave:

potencial fisiológico, controle de qualidade, Cártamo

Resumo

Na avaliação da qualidade de lotes de sementes os testes de vigor são complementares ao de germinação, identificando diferenças no grau de deterioração deles. No entanto, para sementes de cártamo (Carthamus tinctorius L.) há poucas informações em relação a esses testes. Assim, objetivou-se adequar a metodologia do teste de frio para avaliação do vigor de sementes de cártamo. Para isso, 12 lotes foram, inicialmente, caracterizados quanto ao grau de umidade, massa de mil sementes, germinação e emergência de plântulas em campo. Após a caracterização as amostras foram acondicionadas em caixas plásticas transparentes sobre papel umedecido com água e mantidos à 10 °C nos períodos de 0, 3, 5 e 7 dias. Após os períodos de acondicionamento as amostras foram transferidas para câmara de germinação à 25 ºC, com avaliação de plântulas normais ao 3º dia. Os dados obtidos foram submetidos a análises de variância e quando significativas comparados pelo método de Scott-Knott até 5% de probabilidade. Para verificar a eficiência das metodologias foi realizada a análise de componentes principais. O teste de frio à 10 °C por sete dias é recomendado para avaliação do vigor de sementes de cártamo.

Downloads

Publicado

2021-10-05

Edição

Seção

Agronomia