Morfofisiologia e nutrição de mudas de maracujazeiro-amarelo cultivado em substratos à base de bagana de carnaúba

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v16i3a132

Palavras-chave:

resíduo agroindustrial, elementos minerais, Passiflora edulis f. flavicarpa

Resumo

O emprego de resíduos agroindustriais pode representar uma alternativa para diminuir os custos de aquisição de substratos comerciais pelos produtores de mudas de maracujazeiro, sendo a bagana de carnaúba uma alternativa para a região do Nordeste brasileiro. Nesse contexto, objetivou-se avaliar a produção de mudas de maracujazeiro-amarelo em substratos à base de bagana de carnaúba em diferentes proporções com o solo. O experimento foi conduzido na área experimental da Estação Agrometeorológica de Fortaleza, Campus do Pici, Universidade Federal do Ceará, Brasil, em delineamento inteiramente casualizado, cujo os tratamentos foram constituídos por substratos formulados a partir da combinação de diferentes proporções de bagana de carnaúba (BC) e solo: Solo (100%) + BC (0%); Solo (75%) + BC (25%); Solo (50%) + BC (50%); Solo (25%) + BC (75%); e Solo (0%) + BC (100%). A presença de BC, independentemente de sua proporção no substrato, apresenta os melhores resultados na fotossíntese e no índice de qualidade de Dickson (IQD) em mudas de maracujazeiro amarelo. As melhores respostas morfológicas foram obtidas nas proporções maiores que 50% de BC, que levou também ao maior acúmulo de nutrientes na parte aérea.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Edição

Seção

Agronomia