Enriquecimento proteico do resíduo de casca de jaca mediante fermentação semissólida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v15i1a6406

Palavras-chave:

processo fermentativo, jaqueira, resíduos de jaca, suplemento proteico, Saccharomyces cerevisiae

Resumo

As características físicas e químicas da jaca (Artocarpus heterophyllus Lam.) indicam a possibilidade de aproveitamento de seus resíduos através do desenvolvimento de um novo produto, um suplemento nutricional. Dessa forma, objetivou-se estudar o enriquecimento proteico do resíduo de casca de jaca por fermentação semissólida, utilizando a Saccharomyces cerevisiae, empregando um planejamento experimental associado à metodologia de superfície de resposta para verificar os efeitos das variáveis de entrada (concentração de levedura e temperatura de fermentação) sobre o aumento proteico. As concentrações de levedura adicionadas ao substrato foram de 1, 3 e 5% e as temperaturas utilizadas 30, 35 e 40 ºC. O maior valor de aumento proteico encontrado nos substratos estudados foi de 164%, que correspondeu a 17,1% de proteína bruta, base seca, alcançado após 72 h de processo utilizando-se maior concentração de levedura e maior temperatura de fermentação. A utilização da levedura no meio semissólido do resíduo de casca de jaca viabiliza a obtenção de um suplemento proteico, que poderá posteriormente ser utilizado como fonte alternativa para alimentação animal.

Downloads

Publicado

2021-03-01

Edição

Seção

Zootecnia