Qualidade biológica e física de um solo minerado sob revegetação com gramíneas perenes

Autores

  • Lizete Stumpf Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Eloy Antonio Pauletto Universidade Federal de Pelotas
  • Luiz Fernando Spinelli Pinto Universidade Federal de Pelotas
  • Luciano Oliveira Geissler Universidade Federal de Pelotas
  • Danilo Dufech Castilhos Universidade Federal de Pelotas
  • David de Lima de Souza Universidade Federal de Pelotas
  • Jeferson Pras Pimentel Universidade Federal de Pelotas
  • Leonir Aldrigui Dutra Junior Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v13i1a5498

Palavras-chave:

mesofauna edáfica, carbono orgânico, atributos físicos

Resumo

O objetivo do trabalho foi avaliar a população de ácaros e de colêmbolos e a condição física de um solo minerado e revegetado com diferentes espécies de gramíneas perenes. Os tratamentos avaliados foram: a Urochloa brizantha, a Hemarthria altissima, o Paspalum notatum, o Cynodon dactylon e a vegetação espontânea. Para efeitos comparativos foi utilizado o solo natural como tratamento referência. Em 2014, oram coletadas 56 amostras de solo na camada de 0,00-0,10 m para a determi­nação da população de ácaros e colêmbolos, dos atributos físicos e do teor de carbono orgânico. A Hemarthria altíssima foi a espécie vegetal que mais se destacou entre as gramíneas perenes, até o presente momento, proporcionando uma densidade média de ácaros e colêmbolos muito próximos aos do solo natural. Entre os atributos físicos, a densidade do solo mostrou-se a variável mais sensível as alterações promovidas pelas espécies vegetais, decorridos 11 anos de revegetação.

Downloads

Publicado

2018-03-31

Edição

Seção

Agronomia