Ecotoxicologia e mesofauna do solo em área com histórico de derramamento de óleo na Floresta Nacional Ipanema

Autores

  • Rafael Nogueira Scoriza Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Maria Elizabeth Fernandes Correia Embrapa Agrobiologia

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v13i1a5495

Palavras-chave:

ascarel, bifenilas policloradas, biota do solo, solo contaminado

Resumo

Em uma subestação elétrica ferroviária desativada houve o derramamento de 40 mil L de óleo ascarel. Entretanto não se detectou no solo a presença dos contaminantes esperados acima dos valores orientadores. Como analisar quimicamente out­ros possíveis contaminantes se torna altamente custoso e inviável, o objetivo deste estudo é avaliar de forma indireta a possível presença de outros contaminantes, através do poder de explicação da variabilidade de dados da mesofauna do solo e de ensaios ecotoxicológicos por parâmetros químicos e físicos do solo. A subestação está localizada na Floresta Nacional de Ipanema, em São Paulo. No local foi definido um grid de coleta de 40 x 40 m com seis linhas. A mesofauna mostrou-se influenciada por alguns atributos do solo, que em seu conjunto explicou 75,5 % da variabilidade nos pontos de floresta secundária e 84,8 % nos pontos de pasto arborizado. A variabilidade dos resultados do ensaio com E. crypticus foi pouco explicada pelas características físico-química do solo. Com isso, há fortes indícios que não há contaminantes gerando impactos na biota do solo do local. Entretanto, verifica-se a necessidade de um estudo adicional com atributos abióticos de maior complexidade como fatores explicativos da variabilidade.

Downloads

Publicado

2018-03-31

Edição

Seção

Agronomia