Alterações nas reservas de sementes de Melanoxylon brauna Schott. (Fabaceae Caesalpinoideae) durante a germinação em diferentes temperaturas

Autores

  • Glauciana da Mata Ataíde Universidade Federal de São João Del-Rei
  • Eduardo Euclydes de Lima e Borges Universidade Federal de Viçosa
  • Edgard Augusto de Toledo Picoli Universidade Federal de Viçosa
  • Argemiro Teixeira Leite Filho Universidade Federal de Viçosa
  • Andressa Vasconcelos Flores Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v12i3a5454

Palavras-chave:

amido, carboidratos, lipídios, proteínas

Resumo

Durante a germinação, as sementes utilizam os compostos de reserva para fornecerem os nutrientes necessários até que as plântulas se tornem autotróficas. Neste trabalho objetivou-se investigar as alterações nas reservas de carboidratos, amido, lipídios e proteínas em sementes de Melanoxylon brauna durante o período germinativo em diferentes temperaturas. Para tanto, sementes da espécie foram colocadas para germinar sob temperaturas de 10, 25, 30 e 40 °C, sendo retiradas amostras de sementes a cada 24 horas durante o período de 96 horas. Uma pequena redução nos teores de lipídios foi observada durante a germinação nas temperaturas analisadas, enquanto os teores de açúcares solúveis decresceram a partir de 48 horas de embebição, sendo prontamente utilizados, especialmente nas temperaturas de 25 e 30 °C. Para as proteínas solúveis, verificou-se declínio desde o início do período germinativo às temperaturas de 25 e 30 °C, sendo este mais intenso no período pós-germinativo à temperatura de 30 °C. Conclui-se que as reservas de carboidratos solúveis, lipídios e proteínas decresceram durante o período germinativo de sementes de Melanoxylon brauna, variando esses decréscimos de acordo com a temperatura.

Downloads

Publicado

2017-09-30

Edição

Seção

Ciências Florestais