Caracterização morfológica de frutos, sementes, plântulas e germinação de Oreopanax fulvus Marchal

Autores

  • Marcelo Bosco Pinto Universidade Federal do Paraná
  • Jeniffer Grabias Sociedade Chauá
  • Pablo Melo Hoffmann Sociedade Chauá
  • Santiago José Elías Velazco Universidade Federal do Paraná
  • Christopher Thomas Blum Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v11i2a5366

Palavras-chave:

Araliaceae, biometria, morfologia, maturação, substrato

Resumo

Este estudo teve como objetivos caracterizar a morfologia dos frutos, sementes e plântulas, e avaliar o comportamento germinativo de Oreopanax fulvus Marchal. Após coleta, as infrutescências foram caracterizadas quanto a sua biometria e morfologia, assim como os frutos, sementes e plântulas. Dois experimentos de germinação foram instalados: o primeiro para avaliar o desempenho da germinação sobre diferentes substratos e o segundo para testar o efeito do grau de maturação dos frutos na germinação. As infrutescências possuem frutos globosos, indeiscentes com coloração roxa quando maduros. Não houve diferença significativa do tamanho de frutos em diferentes graus de maturação. As sementes são pequenas, elípticas com endosperma ruminado e embrião espatulado. A germinação é fanerocotiledonar e a plântula epígea. Os cotilédones permaneceram na plântula por cerca de 150 dias após o início da germinação. Não houve diferença significativa na germinação de sementes sobre diferentes substratos, com média geral de 42,2%. No teste de influência da maturação apenas sementes de frutos maduros germinaram (68,3%), demonstrando ser este um requisito essencial para a adequada germinação de O. fulvus.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Edição

Seção

Ciências Florestais