Atividade respiratória como teste de vigor em sementes de algodão - DOI:10.5039/agraria.v9i2a3518

Eduardo Venske, José de Souza Abreu Júnior, Aline de Mattos de Souza, Luis Fernando Martins, Dario Munt de Moraes

Resumo


Vários testes de vigor são utilizados atualmente pelas empresas produtoras de sementes para avaliar a qualidade dos lotes. Entretanto, nem sempre esses testes se relacionam com a emergência de plântulas no campo e possuem desvantagens, como a demora na obtenção de resultados. O trabalho teve o objetivo de avaliar a eficiência da atividade respiratória como teste de vigor em sementes de algodão. Os experimentos foram conduzidos no ano de 2012, em laboratório e em casa de vegetação. Foram utilizadas sementes da cultivar BRS 286. De um lote principal foram obtidos três lotes por meio de envelhecimento acelerado por zero, 48 e 96 h. Além da atividade respiratória foram realizados, também, testes de germinação, emergência em areia, índice de velocidade de emergência, comprimento da parte aérea e raiz, massa da matéria seca da parte aérea e de raiz e condutividade elétrica. A atividade respiratória diferenciou os três lotes em termos de vigor e apresentou correlação positiva com os testes de comprimento de parte aérea e comprimento de raiz. A avaliação da atividade respiratória é eficiente como teste de vigor em sementes de algodão.


Palavras-chave


controle de qualidade; Gossypium hirsutum L.; qualidade fisiológica; teste de Pettenkofer

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Eduardo Venske, José de Souza Abreu Júnior, Aline de Mattos de Souza, Luis Fernando Martins, Dario Munt de Moraes

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2020

h5 index: 11

h5 median: 12

Mais detalhes

“Este periódico é filiado à

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.