Absorção de cálcio e magnésio pelo algodoeiro cultivado sob diferentes concentrações de boro e zinco - DOI:10.5039/agraria.v8i3a2423

Érica de Oliveira Araújo, Elcio Ferreira dos Santos, Marcos Antonio Camacho

Resumo


Muitas espécies e mesmo variedades de plantas, diferem em suas respostas quanto à disponibilidade de nutrientes no meio de cultivo, cujas causas residem nas diferenças de capacidade de absorção e de utilização dos nutrientes. Informações sobre o efeito do suprimento de B e Zn sobre a absorção, o acúmulo e a eficiência no uso de outros nutrientes por plantas de algodão, ainda são muito limitadas. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito das concentrações de B e Zn no teor, acúmulo e eficiência de uso de Ca e Mg pelo algodoeiro cultivado em solução nutritiva. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com três repetições, em esquema fatorial 4x5, sendo quatro concentrações de boro (0, 20, 40 e 80 μM L-1) e cinco concentrações de zinco (0, 1, 2, 4 e 8 μM L-1). As plantas de algodão estudadas foram cultivadas em casa de vegetação, com solução nutritiva completa por 28 dias, após os quais receberam solução nutritiva modificada de acordo com o tratamento. Aos 115 dias após a emergência as plantas foram coletadas, divididas em raiz, parte aérea e frutos, e submetidas à análise química. Os resultados permitiram concluir que o conteúdo de Ca na raiz e o conteúdo de Mg na raiz e no fruto do algodoeiro são influenciados pelas concentrações de B. O teor e o conteúdo de Ca na parte aérea são influenciados pelas concentrações de Zn na solução nutritiva. A interação B e Zn afetou o teor de Ca na raiz, o teor e o conteúdo de Mg na parte aérea e no fruto, bem como as eficiências de absorção, transporte e utilização de Ca e Mg pelo algodoeiro.

Palavras-chave


eficiência nutricional; Gossypium hirsutum L.; interação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Érica de Oliveira Araújo, Elcio Ferreira dos Santos, Marcos Antonio Camacho

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2018

h5 index: 12

h5 median: 14

Mais detalhes

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.