Viabilidade agroeconômica dos consórcios taro com brócolis, couve-chinesa, berinjela, jiló, pimentão e maxixe - DOI:10.5039/agraria.v12i3a5452

Adriana Uchôa Brito, Mário Puiatti, Paulo Roberto Cecon, Fernando Luiz Finger, Teresa Drummond Correa Mendes

Resumo


A produção de hortaliças é uma atividade intensiva quanto à utilização dos recursos disponíveis, como solo, água e nutrientes exigindo elevado investimento por unidade de área explorada. No caso da pequena propriedade agrícola, normalmente caracterizada pela exploração de cunho familiar, associa-se a esses a restrição de área física para os cultivos, onde para situações dessa natureza, a consorciação de culturas torna-se uma opção interessante. Diante disso, objetivou-se com este trabalho verificar a viabilidade agroeconômica do consórcio do taro com brócolis, couve-chinesa, berinjela, jiló, pimentão e maxixe. O experimento foi conduzido na Horta do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa. Foi constituído de 13 tratamentos, resultantes dos cultivos consorciados do taro com brócolis, couve-chinesa, berinjela, jiló, pimentão e maxixe, assim como suas respectivas monoculturas. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com quatro repetições. As colheitas das hortaliças foram semanais, iniciadas cerca de 60 dias após o transplante e realizadas por, aproximadamente, 120 dias, com exceção da couve-chinesa cuja colheita foi realizada em uma única vez. Avaliaram-se as características produtivas das culturas e os indicadores agroeconômicos para medir a eficiência dos sistemas consorciados. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias foram comparadas por meio dos testes de Tukey e Dunnet para os dados de produtividade do taro, teste F para os contrastes realizados nas culturas consorciadas e o critério de agrupamento de médias Scott-Knott, para os dados de viabilidade econômica.  Todos os consórcios foram eficientes, pois apresentaram UET acima da unidade e elevada renda líquida e vantagem monetária, sendo o consórcio taro-jiló o menos vantajoso economicamente quando comparado aos demais.

Palavras-chave


Colocasia esculenta, associação de culturas, indicadores econômicos, produtividade.

Texto completo:

PDF

Referências


Cecílio Filho, A.B.; Costa, C.C.; Rezende, B.L.A.; Leeuwen, R. Viabilidade produtiva e econômica do consórcio entre chicória e rúcula em função da época de plantio. Horticultura Brasileira, Brasília, v.26, n. 3, p.316-320, 2008. https://doi.org/10.1590/S0102-05362008000300005.

Centrais de Abastecimento de Minas Gerais - Ceasa-MG. Grande BH. http://minas2.ceasa.mg.gov.br/detec/filtro_variacaoprecos/filtro_variacaoprecos.php. 21 Out. 2015.

Centrais de Abastecimento do Espírito Santo - Ceasa-ES. Boletim diário de preço. Grande Vitória. http://200.198.51.69/detec/filtro_boletim_es/filtro_boletim_es.php. 21 Out. 2015.

Centrais de Abastecimento do Rio de Janeiro - Ceasa-RJ. Consulta/cotação. http://arquivos.proderj.rj.gov.br/ceasa1_imagens/ceasa_portal/view/download.asp?sessao=cotacao&id=872&nomeArquivo=Boletim%20diario%20de%20precos%20%2021%2010%202015.pdf. 21 Out. 2015.

Costa, C.C.; Cecílio Filho, A.B.; Rezende, B.L.A.; Barbosa, J.C.; Grangeiro, L.C. Viabilidade agronômica do consórcio de alface e rúcula, em duas épocas de cultivo. Horticultura Brasileira, Brasília, v.25, n. 1, p.34-40, 2007. https://doi.org/10.1590/S0102-05362007000100008.

De Paula, P.D.; Guerra, J.G.M.; Ribeiro, R.L.D.; Cesar, M.N.Z.; Guedes, R.E.; Polidoro, J.C. Viabilidade agronômica de consórcios entre cebola e alface no sistema orgânico de produção. Horticultura Brasileira, Brasília, v.27, n. 2, p.202-206, 2009. https://doi.org/10.1590/S0102-05362009000200014.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. 2.ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2009. 628p.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3.ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2013. 353p.

Gause, G.F. The struggle for existence. Baltimore: Willians & Wilkins, 1934. 163p.

Gliessman, S.R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: UFRGS, 2009. 656 p.

Gondim, A.R.; Puiatti, M.; Cecon, P.R.; Finger, F.L. Crescimento, partição de fotoassimilados e produção de rizomas de taro cultivado sob sombreamento artificial. Horticultura Brasileira, v.25, n. 3, p.418-428, 2007. https://doi.org/10.1590/S0102-05362007000300019.

Harder, W.C.; Heredia Zárate, N.A.; Vieira, M.C. (2005). Produção e renda bruta de rúcula (Eruca Sativa Mill.) ‘cultivada’ e de almeirão (Cichorium intybus L.) ‘amarelo’ em cultivo solteiro e consorciado. Ciência e Agrotecnologia, v.29, n. 4, p.775-785, 2005. https://doi.org/10.1590/S1413-70542005000400009.

Heredia Zárate N.A.; Vieira, M.C.; Tabaldi, L.A.; Heredia Vieira, D.A.; Jorge, R.P.G.; Salles, N.A. Agro-economic yield of taro clones in Brazil, propagated with different types of cuttings, in three crop seasons. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v.85, n. 2, p.785-797, 2013. https://doi.org/10.1590/S0001-37652013005000025.

Heredia Zárate, N.A.; Vieira, M.C.; Giuliani, A.R.; Helmich, M.; Chiquito, E.G.; Amadori, A.H. Taro ‘Chinês’ em cultivo solteiro e consorciado com cenoura ‘Brasília’ e alface ‘Quatro Estações’. Horticultura Brasileira, v.24, n. 3, p.324-32, 2006. https://doi.org/10.1590/S0102-05362006000300011.

Heredia Zárate, N.A.; Vieira, M.C.; Graciano, J.D.; Giuliani, A.R.; Helmich, M.A.N.D.; Gomes, H.E. Produção e renda bruta de quatro clones de taro cultivados em Dourados, Estado do Mato Grosso do Sul. Acta Scientiarum. Agronomy, v.31, n. 2, p.301-305, 2009. https://doi.org/10.4025/actasciagron.v31i2.479.

Heredia Zárate, N.A.; Vieira, M.C.; Helmich, M.; Chiquito, E.G.; Quevedo, L.F.; Soares, E.M. Produção e renda bruta da cultura do taro, em cultivo solteiro e consorciado com as culturas da salsa e do coentro. Acta Scientiarum. Agronomy, v.29, n. 1, p.83-89, 2007. https://doi.org/10.4025/actasciagron.v29i1.70.

Heredia Zárate, N.A.; Vieira, M.C.; Oliveira, A.C.P.; Lima, A.A. Produção e renda bruta de dois cultivares de taro, em cultivo solteiro e consorciado com alface. Semina: Ciências Agrárias, v.26, n. 3, p.283-290, 2005. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2005v26n3p283.

Lima, J.S.S. Viabilidade agroeconômica de consórcios em faixas de cenoura e rúcula em bicultivo. Mossoró: Universidade Federal do Semi-árido, 2008. 98p. Tese Doutorado. http://www2.ufersa.edu.br/portal/view/uploads/setores/82/TESEJAILMASUERDA.pdf. 29 Mar. 2016.

Lopes, N.F.; Lima, M.G.S. Fisiologia da produção. Viçosa: Editora UFV, 2015. 492p.

Ohse, S.; Rezende, B.L.A.; Silveira, L.S.; Otto, R.F.; Cortez, M.G. Viabilidade agronômica de consórcios de brócolis e alface estabelecidos em diferentes épocas. Idesia, v.30, n. 2, p.29-37, 2012. https://doi.org/10.4067/S0718-34292012000200004.

Puiatti, M.; Fávero, C.; Finger, F.L.; Gomes, J.M. Crescimento e produtividade de inhame e de milho doce em cultivo associado. Horticultura Brasileira, v.18, n. 1, p.24-30, 2000. https://doi.org/10.1590/S0102-05362000000100006.

Puiatti, M.; Oliveira, N.L.C.; Cecon, P.R.; Bhering, A.S. Consorciação de taro e crotalária manejada com corte rente ao solo e poda na altura do dossel. Revista Ceres, v.62, n. 3, p.275-283, 2015. https://doi.org/10.1590/0034-737X201562030007.

Rezende, B.L.A. Consórcios de pepino e alface em cultivo protegido: viabilidade agroeconômica. Jaboticabal-SP Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias-Unesp, 2008. 163 p. Tese Doutorado. http://hdl.handle.net/11449/105269. 02 Abr. 2016.

Ribeiro, C.A.; Guimarães, P.T.G.; Alvares, V.H. Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais. Recomendações para uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais – 5ª aproximação. Viçosa: Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, 1999. 359 p.,

Rubatzky, V.E.; Yamaguchi, M. Word vegetables. Principles, production, and nutritive values. 2.ed. New York: Chapman & Hall, 1997. 843 p.

SAEG. Sistema para Análises Estatísticas. Versão 9.1. Viçosa: Fundação Arthur Bernardes, 2007.

Sullivan, P. Intercropping principles and production practices. Fayetteville: NCAT, 2003. 12p. 2001. https://attra.ncat.org/attra-pub/summaries/summary.php?pub=105.14 Out. 2015.

Vandermeer, J. The interference production principle: an ecological theory for agriculture. BioScience, v. 31, n. 5, p. 361-364, 1981. https://doi.org/10.2307/1308400.

Vandermeer, J. The ecology of intercrop. Cambridge: Cambridge University Press, 1989. 237 p.

Venzon, M.; Sujii, E.R. Controle biológico conservativo. Informe Agropecuário, v.30, n. 251, p.7-16, 2009. http://www.epamig.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=3491. 23 Nov. 2015.

Vieira, J.C.B.; Puiatti, M.; Cecon, P.R.; Bhering, A.S.; Silva, G.C.C.; Colombo, J.N. Viabilidade agroeconômica da consorciação do taro com feijão-vagem indeterminado em razão da época de plantio. Revista Ceres, v.61, n. 2, p.155-160, 2014. https://doi.org/10.1590/s0034-737x2014000200010.

Willey, R.W. Intercropping - its importance and research needs. Part 1. Competition and yield advantages. Field Crop Abstracts, v.32, p.1-10, 1979.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Adriana Uchôa Brito, Mário Puiatti, Paulo Roberto Cecon, Fernando Luiz Finger, Teresa Drummond Correa Mendes

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2020

h5 index: 11

h5 median: 12

Mais detalhes

“Este periódico é filiado à

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.