Adequação do teste de envelhecimento acelerado para avaliação do vigor de sementes de leucena - DOI:10.5039/agraria.v12i1a5422

Fernando dos Santos Araújo, Francival Cardoso Félix, Cibele dos Santos Ferrari, Riselane de Lucena Alcântara Bruno, Mauro Vasconcelos Pacheco

Resumo


Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. (Fabaceae) é uma leguminosa arbórea indicada para a composição de sistemas agroflorestais e alimentação de animais em regiões de clima semiárido. Dada sua importância, objetivou-se com este estudo adequar a metodologia do teste de envelhecimento acelerado para avaliação do vigor das sementes. Para tanto, procederamse a execução de testes de envelhecimento acelerado à temperatura de 41 °C durante 0, 48, 72 e 96 h em lotes de sementes, com avaliação da porcentagem de germinação pós-envelhecimento e correlação simples com as variáveis germinação, primeira contagem, velocidade de germinação, condutividade elétrica e emergência de plântulas. Após 48 h de envelhecimento não foi constatada diferença na porcentagem de germinação das sementes dos lotes, e apenas o período de exposição de 96 h apresentou correlação significativa com o teste de emergência de plântulas. O teste de envelhecimento acelerado conduzido a 41 °C durante 96 h é eficiente para diferenciar lotes de sementes de L. leucocephala em níveis de vigor. 


Palavras-chave


Leucaena leucocephala; qualidade fisiológica; sementes florestais; semiárido

Texto completo:

PDF

Referências


Association of Official Seed Analysts - AOSA. Seed vigor testing handbook. East Lasing: AOSA, 1983. 93p.

Bewley, J.D.; Bradford, K. J.; Hilhorst, H.W.M.; Nonogaki, H. Seeds – physiology of development, germination and dormancy. 3.ed. New York: Springer, 2013. 392p.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 399p.

Carvalho, N. M.; Nakagawa, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5.ed. Jaboticabal: FUNEP, 2012. 590p.

Crawford, G.; Puschner, B.; Affolter, V.; Stalis, I.; Davidson, A.; Baker, T.; Tahara, J.; Jolly, A.; Ostapak, S. Systemic effects of Leucaena leucocephala ingestion on ringtailed lemurs (Lemur catta) at Berenty Reserve, Madagascar. American Journal of Primatology, v.77, n.6, p.633-641, 2015.http://dx.doi.org/10.1002/ajp.22386.

Dalmolin, M.F.S. da; Malavasi, U.C.; Malavasi, M.M. Dispersão e germinação de sementes de Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit na região oeste do Paraná. Semina: Ciências Agrárias, v.32, n.1, p.355-362,2011. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n1p355.

Drumond, M.A.; Ribaski, J. Leucena (Leucaena leucocephala): leguminosa de uso múltiplo para o semiárido brasileiro. Petrolina. Embrapa Semiárido, 2010. 8p. (Comunicado técnico, 142). https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/880169/1/CT262.pdf. 22 Jun. 2016.

Fonseca, N. G. da; Jacobi, C. M. Desempenho germinativo da invasora Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. e comparação com Caesalpinia ferrea Mart. ex Tul. e Caesalpinia pulcherrima (L.) Sw. (Fabaceae). Acta Botanica Brasilica, v.25, n.1, p.191-197, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33062011000100022.

Guareschi, D.G.; Lanzarini, A.C.; Lazarotto, M.; Gonzatto, C.; Barbieri, G. Envelhecimento acelerado de sementes e qualidade de plântulas de Bauhinia forficata Link em diferentes substratos e tamanhos de tubetes. Revista Agro@mbiente On-line, v.9, n.1, p.65-71, 2015. http://dx.doi.org/10.18227/1982-8470ragro.v9i1.2175.

Guedes, R.S.; Alves, E.U.; Gonçalves, E.P.; Viana, J.S.; Bruno, R.L.A.; Colares, P.N.Q. Physiological response of Erythrina velutina Willd. Seeds to accelerated aging. Semina: Ciencias Agrárias, v.30, n.2, p.323-330, 2009. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2009v30n2p323.

Guedes, R.S.; Alves, E.U.; Oliveira, L.S.B.; Andrade, L.A.; Gonçalves, E. P.; Melo, P.A.R.F. Accelerated aging in evaluating the quality of seed physiology of Dalbergia nigra (Vell.) Fr. All. Semina: Ciências Agrárias, v.32, n.2 p.443-450, 2011. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n2p443.

Maguire, J.D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedlig emergence and vigor. Crop Science, v.2, n.1, p.176-177, 1962. https://doi.org/10.2135/cropsci1962.0011183X000200020033x.

Marcos Filho, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. 2.ed. Piracicaba: FEALQ, 2015. 660p.

Marcos Filho, J. Teste de envelhecimento acelerado. In: Krzyzanowski, F. C.; Vieira, R. D.; França-Neto, J. B. (Eds.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. cap.3, p.1-24.

Melo-Silva, C.; Peres, M.P.; Mesquita Neto, J.N.; Gonçalves, B.B.; Leal, I.A.B. Biologia reprodutiva de L. leucocephala (Lam.) R. de Wit (Fabaceae: Mimosoideae): sucesso de uma espécie invasora. Neotropical Biology and Conservation, v.9, n.2, p.91-97, 2014. https://doi.org/10.4013/nbc.2014.92.03.

Menezes, V. O.; Lopes, S. J.; Tedesco, S. B.; Henning, F. A.; Zen, H. D.; Mertz, L.M. Cytogenetic analysis of wheat seeds submitted to artificial aging stress. Journal of Seed Science, v.36, n.1, p.71-78, 2014. http://dx.doi.org/10.1590/S2317-15372014000100009.

Pereira, M. D.; Martins Filho, S.; Laviola, B. G. Envelhecimento acelerado em sementes de pinhão-manso. Pesquisa Agropecuária Tropical, v.42, n.1, p.119-123, 2012. https://doi.org/10.1590/S1983-40632012000100017.

Pereira, M.F.S.; Torres, S.B.; Linhares, P.C.F. Teste de envelhecimento acelerado para avaliação do potencial fisiológico em sementes de coentro. Semina: Ciências Agrárias, v.36, n.2, p.595-606, 2015. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n2p595.

Pereyra, G.; Hartmann, H.; Michalzik, B.; Ziegler, W.; Trumbore, S. Influence of rhizobia inoculation on biomass gain and tissue nitrogen content of Leucaena leucocephala seedling under drought. Forests, v.6, n.10, p.3686-3703, 2015. http://dx.doi.org/10.3390/f6103686.

Silva, C.B.; Pivetta, K.F.L.; Oliveira, C.A.V.M. de; Rodrigues, M.A.; Vieira, R.D. Teste de envelhecimento acelerado para avaliação do potencial fisiológico de sementes de grama-bermuda. Revista Brasileira de Sementes, v.32, n.2, p.102-107, 2010. https://doi.org/10.1590/S0101-31222010000200012.

Silva, F. A. S.; Azevedo, C. A. V. Versão do programa computacional Assistat para o sistema operacional Windows. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v.4, n.1, p.71-78, 2002. http://www.deag.ufcg.edu.br/rbpa/rev41/Art410.pdf. 10 Jun. 2016.

Stallbaun, P.H.; Souza, P.A.; Martins, R.C.C.; Matos, J.M.M.; Moura, T.M. Testes rápidos de vigor para avaliação da viabilidade de sementes de Anadenanthera falcata. Enciclopédia Biosfera, v.11 n.21, p. 1.834-1.846, 2015. http://www.conhecer.org.br/enciclop/2015b/agrarias/testes%20rapidos%20de%20vigor.pdf. 05 Jul. 2016.

Tekrony, D. M. Precisionis an essential component in seed vigor testing. Seed Science and Technology, v.31, n.2, p.435-447, 2003.http://dx.doi.org/10.15258/sst.2003.31.2.20.

Teles, M. M.; Alves, A. A.; Oliveira, J. C. G. de; Bezerra, A. M. E. Métodos para quebra da dormência em sementes de leucena (Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. Revista Brasileira de Zootecnia, v.29, n.2, 387-391, 2000. https://doi.org/10.1590/S1516-35982000000200010.

Walker, K.P. Fodder potential of leaves and pods of planted Leucaena diversifolia and L. leucocephala species in semiarid Botswana. International Research Journal of Agricultural Science and Soil Science, v.2, n.10, p.445-450, 2012. http://www.interesjournals.org/full-articles/fodder-potential-of-leaves-and-pods-of-planted-leucaena-diversifolia-and-lleucocephala-species-in-semi-arid-botswana.pdf?view=inline. 22 Jun. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Fernando dos Santos Araújo, Francival Cardoso Félix, Cibele dos Santos Ferrari, Riselane de Lucena Alcântara Bruno, Mauro Vasconcelos Pacheco

SCImago Journal & Country Rank

Google Scholar

2018

h5 index: 12

h5 median: 14

Mais detalhes

Revista Brasileira de Ciências Agrárias (Agrária)

ISSN (ON LINE) 1981-0997

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos Recife-Pernambuco-Brasil 52171-900

agrarias.prppg@ufrpe.br

secretaria@agraria.pro.br

 Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da Agrária, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons.